Maurício Segall (1926-2017)

A Cinemateca Brasileira expressa sua grande tristeza pelo falecimento de Maurício Segall, no último dia 31 de julho.

Filho de Jenny Klabin Segall e de Lasar Segall, Maurício Segall nasceu em Berlim, na Alemanha, em 1926, onde viveu os dois primeiros meses de vida, antes de a família mudar-se para o Brasil. Museólogo, economista, dramaturgo e poeta, formou-se em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo em 1949 e estudou administração pública em Paris entre os anos de 1952 e 1953.

Em 1957, ano da morte de seu pai, Maurício monta uma sala em sua memória na 4ª Bienal Internacional de São Paulo. Jenny Segall falece em 1967, e Maurício e seu irmão Oscar fundam o Museu Lasar Segall, aberto ao público em 1973. Ainda em 1967 Mauricio Segall arrenda, com a atriz Beatriz Segall e o ator Fernando Torres, o Theatro São Pedro, que dirige até 1981. Em 1970, mesmo ano em que é condenado a dois anos de prisão, é criada a Associação Museu Lasar Segall, da qual é nomeado diretor presidente. Preso e torturado, é libertado após um ano de pena. Maurício deixa a direção do Museu em 1997. Em 2013, é nomeado seu Diretor Emérito pelo Instituto Brasileiro de Museus.

Entre suas inúmeras atividades culturais, Maurício Segall foi Conselheiro da Cinemateca Brasileira. Além disso, diversos dirigentes e colaboradores da instituição tiveram o privilégio de trabalhar, conviver e aprender com Maurício no Museu Lasar Segall. Chegaram à Cinemateca inspirados por sua energia, seu profundo respeito pelo bem público e seu desejo de compartilhar a cultura com a sociedade brasileira.

A equipe da Cinemateca Brasileira manifesta sua solidariedade à família e aos amigos de Maurício Segall.